Queria estar em Minas agora

Não há lugar melhor para estar hoje do que a terra de Atlético e Cruzeiro

mineirao_turma_do_chapeu

De todos os lugares, eu queria estar em Minas agora.

Para sentir o frio na barriga que acomete todo e cada cidadão daquelas terras. Para ouvir o silêncio nervoso das ruas, respirar o calor da aflição que nasce no subsolo e sobe até o último andar do Acaiaca.

Queria estar bem no meio da Praça Sete pra sentir a euforia muda de cada transeunte, que quer estourar num carnaval antecipado, gozar uma festa imatura, mas ainda precisa guardar sigilo.

Queria estar em Minas agora para ver o silêncio aflito do cruzeirense, que quer celebrar o título de domingo mas acha prudente ficar quieto pra não confundir com uma celebração antecipada. Para ver o calar rigoroso na boca do atleticano, que quer vibrar com a vantagem franca mas prefere a calmaria porque sabe que o Futebol é amigo íntimo do imponderável.

Queria estar em Matipó, vendo a colheita mal ceifada, os tratores ainda ligados, esquecidos no meio do plantio, o gado abandonado no pasto, as galinhas ciscando um chão sem milho. Para perceber a mudez dos passarinhos que guardam os assobios para a noite.

Queria estar em Belo Horizonte agora para ver o engolir seco do povo nos ônibus. Para ver o nervosismo latente das crianças nas escolas, ouvir o bom dia trêmulo do porteiro, fitar os olhares perdidos dos taxistas que já não ouvem mais direções, apenas escutam o que diz o radinho AM.

Queria estar em Minas agora para sentir a neblina espessa, de cortar com faca, que brota do tormento do povo.

Para ver o crispar de nucas, ouvir as taquicardias, sentir os sobressaltos no peito da gente de Minas, que não sabe mais o que fazer para acelerar o relógio e receber, duma vez por todas, o maior dérbi da sua história, o confronto definitivo, o jogo sumo e colossal de uma crônica infinita.

Eu só queria estar em Minas agora.

 

Foto: Turma do Chapéu

PartilheTweet about this on TwitterShare on Facebook

4 pronunciamentos sobre

Queria estar em Minas agora

  1. Eu acompanho esse site e seus belos textos desde sempre, mas hoje nesse texto me vi homenageado e com saudades da minha terra natal, Matipó. Que bom saber quem mais alguém queria “estar” lá. Abraço

  2. As cadeias de montanhas de Minas serão pequenas para conter tamanha explosão de alegria do lado vencedor, e seus rios e cachoeiras com certeza não farão frente às lágrimas derramadas pelo perdedor. Mas acima de tudo, ganhou Minas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *