Gracias, Cholo

Dribles e fintas são lindos, mas no campo de defesa é preciso ter alguém que fale grosso e carregue o piano

site_oficial_vasco

 

POR FREUD IRÔNICO

O mundo exalta a luz. Mas poucos reparam na lâmpada a quem cabe entregar o brilho às pessoas.

É comum do ser humano. Endeusar os artistas. Esquecer a coxia. No futebol, por óbvio, não é diferente. Artilheiros, dribladores, camisas dez. Todos estão ali a postos para receber os holofotes, os flashes, a idolatria. Enquanto outros, de igual (ou maior), importância seguem coadjuvantes às conquistas.

O DNA do Vascaíno, entretanto, traz uma característica especial. O primeiro clube a aceitar negros no seu quadro social e atlético aprendeu, desde seu nascimento, que respeitar a todos faz parte da essência humana e, principalmente, cruzmaltina.

Em São Januário, além das plásticas fintas, das belas canetas, dos chapéus encantadores, há outro atributo muito valorizado pela torcida bem feliz: a entrega. É quando o jogador entende que aquela camisa vai além do tecido. Que a tira diagonal é um prenúncio às faixas de campeão. E que a Cruz de Malta ali está para integrar-se ao coração que bate, pulsa e respira vascainidade.

Guiñazu depois do título: assinando camisas e o nome na história.
Guiñazu depois do título: assinando camisas e o nome na história.

Ontem, Guiñazu foi tudo isso e muito mais. Uniu os predicados argentinos às tradições portuguesas, numa formação luso-portenha que arrebatou o respeito de cada torcedor presente no Maracanã. Não desistiu de nenhuma bola. Correu atrás dela em cada segundo, como pai atento que não desgruda do rebento querido. De quebra, deu passe para o primeiro gol e teve a honra de entrar no rol dos estrangeiros campeões pelo Vasco, esse clube de proporções extracontinentais.

Indiferente aos clarões da veneração, Guiñazu aceita, empenhado, sua tarefa de carregar o piano. E o faz com tal vontade e orgulho que seu esforçado labor se torna quase um espetáculo à altura do pianista que o toca.

E é por isso que, merecidamente, os vascaínos não se cansam de aplaudí-lo.

Muchas gracias, cholo!
***
As fotos são do site oficial do Vasco da Gama
PartilheTweet about this on TwitterShare on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *