A matiz da esperança

Quem veste uma camisa verde, seja ela qual for, jamais pode deixar de acreditar

coritiba
Dizem que ela é a última a desencarnar. Eu, cá comigo, até duvido. Por tantas que a vida já fez questão de revelar, chego mesmo a crer que ela, em verdade, é perpétua. Fato é que, embora seja um bem abstrato, sabemos de cor a cor da esperança. E, ao menos nos gramados desta quarta-feira que passou, ela mostrou que o verde foi uma escolha precisa para representá-la.
Em terras paulistas, o combalido Palmeiras, agonizante em ano que deveria ser célebre, saiu atrás no duelo contra o Flamengo. E como parece que todo sofrimento é pouco para a Academia, foram dois os tentos já na primeira etapa. Com direito a gol irregular e penalidade máxima a favor não assinalada pelo árbitro.
O hiato do intervalo, contudo, serviu para relembrar o peso da camisa. Como o moribundo que abandona a amnésia para recobrar a memória de quem verdadeiramente é, o alviverde voltou feroz para o segundo tempo, empatou a peleja e convidou a esperança a entrar, novamente, nas mentes e corações de seus torcedores. Se o zagueiro Lúcio ainda salvou uma bola rubro-negra sobre a cal da meta foi apenas para atestar que quem ostenta o verde não tem a opção de desacreditar jamais.
Por sua vez, a capital paranaense recebeu o confronto entre um aspirante a líder e um aguerrido escrete a lutar contra a degola. Parecia favas contadas entrever um vencedor. Só um deles, porém, trazia consigo o verde da esperança, à maneira que mais lhe agrada mostrar-se, justo quando mais inesperada. Com um gol de desvantagem, coube ao Coritiba virar não somente o escore, mas principalmente a confiança de seus apreciadores. De quebra, a comemoração do último gol, que sacramentou a virada, ainda deixou valiosa lição ao amantes do Coxa: não importa a queda imprevista no caminho de sua felicidade, sempre é possível reerguer-se, de braços abertos, sorriso no rosto e alma inundada pela certeza de que, para os corações verdejantes, a fé não costuma falhar.

 

Foto: Divulgação / Site do Coritiba

PartilheTweet about this on TwitterShare on Facebook

Um pronunciamento sobre

A matiz da esperança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *